segunda, 15 abril 2019 15:31

Aluno da FUNCESI passa em primeiro lugar em concurso público

Aluno do curso de Direito passa nos concursos para Tribunal de Justiça de João Monlevade e Ministério Público de Itabira

A FUNCESI continua dando mostras da qualidade dos cursos que ministra. Diogo Alves Torres Procópio, aluno do oitavo período do curso de Direito, passou em dois concursos públicos: um para o TJ - Tribunal de Justiça de João Monlevade, e outro para o MP - Ministério Público de Itabira.

“Na verdade, eu passei em primeiro lugar no concurso para o TJ de Monlevade. Foi uma grande surpresa para mim, pois me inscrevi no intuito de adquirir experiência para participar em futuros concursos. Ao iniciar as provas, vi que nas questões dissertativas, aquelas que tinham mais peso, eu tinha me saído muito bem”, disse visivelmente entusiasmado.

“E foi uma prova complicada. Uma colega que já trabalha lá disse que o TJ teve que fazer outro processo seletivo porque poucos tiveram a nota mínima para compor a lista de pessoas que seriam chamadas. Foi um processo que teve uns cem candidatos, mais ou menos”, explicou.

A euforia por ter alcançado tão expressivo resultado transformou-se rapidamente em decepção. “O TJ demorou muito a chamar. O resultado saiu em meados de agosto de 2018 e fiquei esperando ser chamado. Confesso que fiquei bastante decepcionado”, frisou Diogo.

Em função de o TJ estar demorando a chamar, Diogo resolveu fazer a prova para o do MP de Itabira. “Fiquei sabendo do concurso praticamente na semana de fechamento do edital. Foi uma prova inteiramente aberta, fiquei um pouco inseguro porque tinha umas questões mais complicadas, mas no fim veio a alegria de ter passado em quinto lugar. Logo na sequência fui chamado e comecei a trabalhar no final do ano passado”, completou. 

Diogo Procópio está com 22 anos e pretende prestar outros concursos. “Mantenho minhas possibilidades abertas. Eu tenho muita vontade de prestar concurso, mas não descarto uma possibilidade de advogar, principalmente se eu tiver uma carteira da OAB na mão. Preciso ter uma experiência jurídica nesse sentido, então mantenho essa possibilidade de advogar e de prestar concurso também”, finalizou.

Leia 1428 times

Receba informações